Arquivos Mensais: maio 2017

Existem bandidos. E existem BANDIDOS.

Lembro de um dia distante, meados de 1979. Uma tarde como outra qualquer.

Eu no meu trabalho… auxiliar adminstrativo em um pequeno atacadista de laticínios, em São Paulo. Zona Leste, Tatuapé.

Meu local de trabalho era em um mezanino, desprovido de qualquer facilidade ou luxo: uma mesa já antiga com uma máquina de escrever. E eu já no meio de encerrar meu trabalho diário. Estava preocupado apenas com algo no bolso da minha jaqueta de couro: uma quantia razoável, naqueles tempos… destinada a quitar a mensalidade da minha faculdade. Um curso de engenharia química em uma Universidade fora da capital paulista. O valor, lembro bem, face a grande inflação daqueles tempos, era consideravelmente volumosa. Um enorme pacote. Continue lendo »

Manutenção do meu sistema operacional

Recebi um email onde foi feito um comentário que considerei muito bonito. Lance simples, mas bonitinho.

Tomo a liberdade de reproduzir aqui sem nem ao menos pedir permissão. Sei lá, capaz do autor do comentário proibir. Melhor já ir comentando.

“… 12 meses é um tempo extraordinário. É uma quantidade de tempo que permite a perda dos sonhos, dos projetos das conquistas, mas do outro lado permite que ao findar este período a esperança possa ser renovada.”

Li detidamente essas linhas. E fiquei meio pasmado por perceber o quanto isso me envolve. Principalmente quando faço aquele backup esporádico buscando preservar as informações que valem a pena. Continue lendo »

Maio, 10, 2014

Maio eu comemoro sempre, desde 2014, o manto da invisibilidade.

Já são três anos onde experimentei o manto da invisibilidade. E sempre será inesquecível relembrar da sensação obtida com o uso dele. Impressionante.

Folclórico, eu considero, foi ter estreado o meu manto mágico num show musical… Zé Ramalho. Muito além daquele frenesi musical, houve outro fato que não será esquecido tão breve.

Três anos vão servindo como tempo de meditação. No prazo do primeiro ano, certamente, fiquei retido num misto de raiva, ira, ódio. Pouca importância eu acabava dando para algo que se afastasse disso. Sempre raiva, sempre ira, sempre ódio. Continue lendo »

Um post sobre postes

Valendo lembrar que lances que escrevo sempre são motivo de polêmicas… alguém mandando recado ou email achando que é pessoal e talz. FODA-SE quem pensa ou acha isso. Então, viventes, caso se enquadrem, fiquem com meu sincero ahahahahahahahahahahahahahahahahahaha.

Já aqueles que curtem apenas as bobagens todas, desfrutem. Crianças, com vcs, Os Postes. Continue lendo »

Recomendados

 

Orientalismo – para todos que gostam de uma boa leitura, vale uma visita no blog do André Bueno. Muitas opções de downloads. O curriculum do André justifica a leitura do material que ele disponibiliza.

Enter Rádio Enter the Shadows – quem procura por sons alternativos certamente vai se deliciar… programação de primeira linha, sets bem transados. Vale muito conhecer.

Rádio Deepland – quem gosta de som alternativo vai gostar… programação de primeira linha e sempre um set de bom gosto rolando. Vale muito conhecer.

Ducati Museum – museu Ducati… uau… para quem entende de motocicletas, uma parada obrigatória na próxima viagem de férias. Oportunidade para conhecer de perto uma MH900 (a original, vencedora histórica do TT Isle of Man 1978). Apaixonante. No entanto, se vc gosta de “motos”, lamento, vá para o Japão.

Museo Moto Guzzi – quem conhece o nome Omobono Tenni, certamente enlouqueceria por lá… quem não conhece, esqueça e pronto. Com um pouco de sorte, quem sabe na sua visita a Guzzi Gambalunga esteja em exposição??? Ah, ok, vc nunca ouviu falar de Omobono Tenni… ou da Gambalunga… faça assim, procure o site da Harley Davidson e pronto.

Isle of Man – sem comentários… se vc não sabe o que é, lamento… melhor gastar seu tempo com futebol.

Erebus

Jogando aqui uma postagem maluca de Erebus. Louco. Sempre Louco.

:\insignificância. esquisito e estranho é se colocar diante de pessoas e expressar das suas qualidades. pois vemos, nelas, pessoas, certas qualidades e atrativos. por piores que sejam, pareçam, possam parecer.

:\ mais esquisito, ainda, quando além de dizer das qualidades, dizemos do que sentimos e pensamos. do que vivenciamos quando longe delas. pois na totalidade das necessidades de expressar, faltam-nos palavras que expressem tudo. caímos numa mesmice não desejada. e terminamos por utilizar de palavras que já foram exaustivamente utilizadas erroneamente. seja pela incompetência em conhecê-las, palavras, ou pela incompetência em discernir o que seja a necessidade do dizer. Continue lendo »