Arquivos Mensais: janeiro 2018

Ano Novo. Mais um.

E um Feliz Ano Novo.

Tem aquela coisa esperada: muita saúde, muita paz, muitas alegrias. Muita, um monte. E de bouas, isso enche o saco. Coisas que saturam, soam falso demais.

Saúde é questão de cuidado pessoal. Ficar uma vida enchendo o latão, certeza que num momento os problemas surgem. Paz, também, é relativo… num mundo de discórdias, paz termina sendo um luxo que não tem como conquistar apenas virando um ano. Tudo isso é um saco.

Eu fiquei felizão mesmo na virada por detalhe simples e único: vizinhança viajou e não ficou tocando som alto, último volume (em equipamento podreira, rachando nos falantes e tuíteres) = e justamente a minha vizinhança tem preferências musicais do nível “filhos da puta”.

Parte ruim foi, mais uma vez, a distância das filhas e neto. Isso sim importa prá mim. O restante, são detalhes.

Parte da minha alegria foi que, pela primeira vez, não fiquei ligado em criar mensagens prá todo mundo. Preferi interagir com pessoas que fizeram o mesmo comigo. Os demais, todos, ah, pouco me lixei com vcs.

Em frente.