Coronavírus e imortalidade

Mais uma do Covid-19: imortalidade.

Recebi, por estes dias, um texto no Whatsapp – aliás, um texto lúcido e muito oportuno.

Trata da imortalidade humana, ocasionada pela pandemia do Covid-19 (também conhecido como O NOVO CORONAVÍRUS). O texto, cuja autoria é supostamente de um médico, faz comentários muito interessantes – ao mesmo tempo que induz a pensar em outros pontos também interessantes.

Deixo de citar o nome do suposto médico, pois entrei em contato com o mesmo por Whatsapp e email e ainda não obtive resposta e também autorização para reproduzi-lo aqui. Mas ainda assim, me permito citar e comentar algo sobre a postagem.

Logo de saída, nas primeiras linhas, o autor comenta sobre a imortalidade que surgiu em consonância com o coronavírus. Afinal, diante do que a imprensa divulga a cada segundo, morrer mesmo se tornou algo exclusivo aos infectados pelo Covid-19.

Infarto? esqueça.

AVC? esqueça também.

Malária, tuberculose, febre amarela – esqueçam, é tudo coisa do passado. Passado que se inicia convenientemente DEPOIS de encerrado o carnaval no Brasil.

Segundo nosso governador boa pinta e falastrão (sim, sou de São Paulo), as autoridades (ele incluído) não impediram a realização do carnaval em São Paulo pois NÃO HAVIAM CASOS REGISTRADOS DE COVID-19. Muito embora a epidemia já fosse FATO, não era FATO AOS OLHOS DO GOVERNADOR  PAULISTA. Mas vamos voltar ao tema… imortalidade.

Sarampo? esqueça também. Esqueça também da dengue e derivados. Esqueça da gripe em suas modalidades conhecidas nas últimas décadas. Todas esses males desapareceram, vítimas da Covid-19.

Até mesmo apendicites, em breve, deixarão de constar dos anais da medicina, pois não dão matéria jornalística digna de atenção.

Bom, sei que os poucos que lerem esta postagem irão perguntar… cara, você não acredita nessa pandemia? Minha resposta é SIM, acredito – mas não com um olhar comum… o olhar idiotizado e imbecilizado com o massacre jornalístico que infestou os meios de comunicação. Vale dizer que a PANDEMIA DE IMBECILIDADE deve estar matando mais do que o Covid-19.

Vamos aos números – lembrando que não inventei esses números, eles estão disponíveis na internet. Cito as fontes em cada comentário, prá dar efeito de veracidade.

 

TUBERCULOSE

A tuberculose é uma doença grave e está entre as 10 causas de morte no mundo: são 10 milhões de casos por ano e mais de 1 milhão de óbitos.

No Brasil, em 2019, foram registrados 73.864 mil casos novos da doença.

https://agenciabrasil.ebc.com.br/saude/noticia/2020-03/brasil-registra-200-casos-de-tuberculose-por-dia

 

PNEUMONIA

A pneumonia é uma “epidemia esquecida”, alerta a Unicef, a agência da ONU para a Infância, e outras cinco organizações, incluindo a ONG Save the Children, em comunicado divulgado nesta terça-feira (12). Em 2018, a doença respiratória matou uma criança de menos de 5 anos a cada 39 segundos, informa o texto.

https://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2019/11/14/epidemia-mundial-pneumonia-mata-uma-crianca-de-menos-de-5-anos-a-cada-39-segundos.ghtml

Destaque curioso para o “alerta da UNICEF” – afinal, a OMS também é uma agência da ONU. Desgraçadamente, tudo que a ONU toca, vira merda. Por um lado, uma agência da ONU (UNICEF) faz o alerta e de outro lado outra agência da ONU (OMS) ignora os alertas e não mostra serviço.

Momento de pausa para meditação = prá que servem, então, OMS, UNICEF e ONU??? pois olhe… apenas para arrecadar grana dos países associados.

Lembrando que PNEUMONIA também é um quadro clínico presente na infeção por Covid-19. Mas também pode se originar por outros vírus ou bactérias. Fica certo afirmar que PNEUMONIA com ausência de Covid-19 mata MAIS. Vem matando há muito mais tempo e com intensidade MAIOR.

Os exemplos são poucos, eu sei. Daria prá inserir mais casos clínicos graves que matam mais do que Covid-19. Mas vamos citar outros agentes mortíferos – os quais também deixaram de existir e nos aproximam da imortalidade.

 

ACIDENTES DE TRÂNSITO

47.000  mortes por ano + 400 mil pessoas com sequelas decorrentes de acidentes de trânsito.

https://www1.folha.uol.com.br/seminariosfolha/2017/05/1888812-transito-no-brasil-mata-47-mil-por-ano-e-deixa-400-mil-com-alguma-sequela.shtml

 

MORTES INTENCIONAIS

Morte intencional aqui são os homicídios – reli várias vezes o anuário e fiquei sem entender se feminicídios estão incluídos ou não, pois existem estatísticas em separado e fiquei sacudo de entender o anuário apresentado.

57.358 (2018)

http://www.forumseguranca.org.br/wp-content/uploads/2019/10/Anuario-2019-FINAL_21.10.19.pdf

 

Finalizando, fico pensando na futilidade jornalística. Só números, quase sempre divergentes entre o próprio meio jornalístico. E um grande aprendizado diante dessa pandemia… limpar a mão com álcool em gel, usar água e sabão e ficar em casa. Uau… o resto, só hipocrisia, leviandade e desinformação.

Havendo confirmação de autoria do texto que comentei no início desta postagem, publico por aqui, citando a autoria do mesmo.

..::..