Existem bandidos. E existem BANDIDOS.

Lembro de um dia distante, meados de 1979. Uma tarde como outra qualquer.

Eu no meu trabalho… auxiliar adminstrativo em um pequeno atacadista de laticínios, em São Paulo. Zona Leste, Tatuapé.

Meu local de trabalho era em um mezanino, desprovido de qualquer facilidade ou luxo: uma mesa já antiga com uma máquina de escrever. E eu já no meio de encerrar meu trabalho diário. Estava preocupado apenas com algo no bolso da minha jaqueta de couro: uma quantia razoável, naqueles tempos… destinada a quitar a mensalidade da minha faculdade. Um curso de engenharia química em uma Universidade fora da capital paulista. O valor, lembro bem, face a grande inflação daqueles tempos, era consideravelmente volumosa. Um enorme pacote.

Não consigo mais precisar mais detalhes anteriores ao que veio a ser um puta susto dos diabos… assalto na emprêsa. Adeus relógio (herança do meu pai), uma corrente de prata com pingente idem… e, claro… adeus mensalidade da faculdade. Na minha cabeça, apenas um revólver calibre 38 em mãos que, hoje, sei que eram experientes… não tremiam, seguravam firme aquela “ferramenta de trabalho”.

Eram outros tempos… hoje, posso dizer que foi um assalto do tipo “old school”: nada de espancamento gratuito nas vítimas, nada de gastar munição a esmo. Lance rápido, apavorante e adeus. Naqueles tempos de ditadura, ainda, a polícia costumava pegar pesado… e os “profissas” do crime não extrapolavam muito não. Não em assaltos pequenos.

Esse foi o primeiro de uma série considerável de situações de assalto e roubo onde fui personagem lesada. Houveram outros relógios duramente comprados e furtados, roubados. Jaquetas caras (eu era motociclista naqueles tempos). Grana, sempre em quantias até que razoáveis… eu, por azar, sempre fui assaltado em dias de pagamento… os fatídicos “dia 10”. Mas sobrevivi.

Vou percebendo que sempre tive uma certa dose de sorte. Eu sempre fui um andarilho da noite. Locais complicados de caminhar. E locais que eram tradicionais pontos da noite na capital de São Paulo. Bares, bilhares, botecos rampeiros. Periferia. Punks sem noção (e alguns com noção rsrsrs). Carecada. Skins de diversas ideologias. Mancha Verde (hooligans tupiniquins). Vale dizer que sempre tive a capacidade de criar amizades nesses meios. Brigas, sim, haviam. Mas sempre uma questão fundamental: havia um toque de honra ou sei lá… ética nisso tudo. Percebo hoje que até mesmo nos ladrões ou assaltantes de então, havia sim um certo código de conduta… rsrsrsrsrs

Hoje, 2017, estou pasmado com algo complicado: larapiagem e roubalheira por parte de uma espécie de bandidos que transita em nosso país. Um bando de filhos da puta que praticam as rapinagens num exercício muito amplo… não respeitando nada. Um bando de calhordas que entendem TODOS OS DIAS COMO SENDO “DIA 10”. Um bando que ao invés de facas, revólveres, pistolas, estiletes… usam CANETA e pior… TÍTULOS… moçada… eles mesmos, OS POLÍTICOS.

Canetas que assinam leis inaplicáveis, quase sempre. Ou, pior, leis e apensos ou quaisquer artimanhas que permitam que, conforme roubem – ou achaquem, ou extrapolem seus poderes – estejam isentos de quaisquer punições. Vamos assistindo situações onde É CLARA E VISÍVEL a ladroagem e a roubalheira. MAS… somos obrigados a ouvir essa corja sorridente explicando assim: TEM PROVAS? EXISTEM PROVAS? Claro, quem acusa é obrigado a prová-las. Aplique-se, então, a INVERSÃO DO ÔNUS DE PROVA. Provem vocês, excelências, QUE NÃO PRATICARAM OS ATOS DOS QUAIS SÃO SUSPEITOS.

Já passou da hora desse povo acordar. Não existe partido honesto. E, não havendo partido honesto, seguramente NÃO EXISTEM POLÍTICOS HONESTOS. Vejamos: eu jamais ouvi dizer que em alguma quadrilha de assaltantes de bancos houvessem INOCENTES. E a atualidade da nossa política e do nosso país mostra que PARTIDOS = QUADRILHAS. O político novato pode até ser honesto… mas conforme é recebido nos rituais partidários, COM CERTEZA JÁ DEIXOU SUA HONESTIDADE guardada em casa, dentro de algum armário. POIS O QUE CONTA, É GRANA.

Acordem, brasileiros dorminhocos. Só explicando aqui no final = NÃO DEFENDO PARTIDO ALGUM. NENHUM DELES PRESTA. IGUALMENTE SEUS INSCRITOS. BANDO DE LARÁPIOS.

:::…